E se passaram 4 anos..

Já chegou chegando..dia 27 de dezembro ( eu realmente não queria ficar na maternidade no natal e muito menos no réveillon)..

Data boa, hein Gabi?! Calor pra bagaça. Tanto para carregar um BB de 4 kilos na barriga, como para carregar no colo e amamentar.

Meses com ele doente sem descobrir o que era, febre que ia e voltava. Diarréia no dia do batizado (no meio da missa), que sujou a roupa dele inteira e a minha também. E ele passou o resto do batizado enrolado em uma manta..

Mais meses doente sem descobrir o que era e inúmeros antibióticos, resultando em várias alergias e bolas pelo corpo todo..

Quase 4 meses de febre que vem e vai..e um médico anjo descobriu o problema: infecção urinária, como ninguém pensou nisso?

Noites e dias na Unimed, feriado de carnaval na Unimed e inúmeras viroses. Nessa época a unimed era minha segunda casa..

Aí começou a ir para escolinha, mamãe precisava voltar a trabalhar..

Resultado? Pneumonia..

Tira da escolinha, e entra vovó em ação para ajudar..

Volta pra escolinha já maior..

Um belo dia mamãe esta escovando os dentes e Gabi já pronto para o colégio, ele entra correndo no banheiro (naqueles dias frios e úmidos) e derrapa..bate de boca no granito da privada..

DESESPERO..

A boca cheia de sangue e o dente..cadê?? Procura, procura e nada..

Liga pro marido e desesperadamente manda ele vir..

O marido chega e toma a frente e vamos atrás de um dentista de plantão ao 12:00..

Achamos um anjo, que nos disse..o dente não caiu..houve uma oclusão dele (sim ele entrou totalmente dentro da gengiva)..

Raio-x, exames, semana difícil ou até meses..

Férias..

Gabi corre com o óculos da mamãe no rosto..

– Ah, que lindinho..

Ploft, cara no chão e um belo rasgo na testa..

Lá vamos nós para a Unimed..

Da anestesia, segura, anestesia não pega, choradeira, a mãe chora mais, pede para parar, médica se irrita e diz que tenho que assinar um termo de responsabilidade..eu peço para ela continuar, mas para anestesiar mais..

Jurei nunca mais na minha vida ir sozinha fazer isso!

E depois quando pensei estar tudo calmo..

Gabi com os seus rompantes de personalidade forte, morde um bicho de pelúcia e diz: doeu..

O dente tá mais mole que maria mole..

Liga pra dentista e ela diz: Só de coisas geladas e vê se o dente fica..

O pai chega em casa e Gabriel tenta arrancar o dente, ele fica com a raiz pra fora..

Dois desesperados procurando um dentista a meia noite..

5 minutos depois volta o Gabi sem dente..

Dentistas, raio-x, repouso e bucha: o dente quebrou e ficou um pedaço dentro..

Bora fazer uma cirurgia..

Corta a gengiva, corta mais, corta um pouco mais, puxa o dente, ele não sai, corta mais, não ia precisar dar ponto (agora precisa muito), costura..

Ele quer arrancar o ponto..

Sarou..

E tá aqui, firme e forte..

E vc lendo tudo isso, pensa: Que foda ela, que foda ele..

E eu te digo: ser mãe é isso..

E essa só foi a parte difícil, porque se eu te contasse a parte boa meu amigo, eu ia escrever um livro.

Tudo isso faz parte da história do Gabi, a história que ele uma dia vai achar graça.

Uma criança que viveu, vive, tem problemas, alegrias..como todas as outras.

Como eu te amo meu Gabi e como agradeço todos os dias por ter passados por todos essas coisas do teu lado!

Meu amor..meu querido..meu caçula..